Reflexões sobre o Poder

 


[O povo] "não deve sentir a verdade da usurpação: ela foi um dia introduzida sem razão e tornou-se razoável; é preciso fazer que ela seja vista como autentica, eterna, e esconder o seu começo se não quisermos que logo tenha fim."

(Pascal, Pensamentos séc. XVII)

 

"A democracia e a República são um luxo que o capital tem que conceder às massas, dando-lhes a ilusão de que controlam os processos vitais, enquanto as questões reais são decididas em instâncias restritas, inacessíveis e ausentes de qualquer controle."

(Francisco de Oliveira, 2003)

 

" Assim, sob qualquer ângulo que se esteja situado para considerar esta questão, chega-se ao mesmo resultado execrável : o governo da maioria das massas populares por uma minoria privilegiada.
Esta minoria, porém, dizem os marxistas, compor-se-á de operários. Sim, com certeza, de antigos operários, mas que, tão logo se tornem governantes ou representantes do povo, cessarão de ser operários e por-se-ão a observar o mundo proletário de cima do Estado; não mais representarão o povo, mas si mesmos e suas pretensões de governá-lo.
Quem duvida disso não conhece a natureza humana..."

( Mikhail Bakunin no século XIX.)

 

"Nas democracias, embora o poder seja formalmente do povo, na prática, está com a sociedade civil, que dele se diferencia porque, no povo, cada cidadão tem um voto, na sociedade civil o peso de cada cidadão depende de seu conhecimento, de seu dinheiro e de sua capacidade de comunicação e organização."

(Luiz Carlos Bresser Pereira, 2005)